Pontuação: vírgula antes da conjunção “e”

 

Há três contextos em que se usa a vírgula antes da conjunção e:

1. quando as orações apresentarem sujeitos diferentes:

  • A advogada redigiu o contrato, e o reclamante o assinou.
  • Depois de muita resistência, o atleta concordou com o diagnóstico do médico, e a comissão técnica se pôs a pensar em um substituto à altura.
  • No exercício [físico], a nossa respiração fica mais acelerada, e o coração também bate mais rápido. (vivabem.uol.com.br)
  • Os vegetais congelados são, geralmente, melhores fontes de vitaminas porque [eles] são resfriados logo após a colheita, e as vitaminas são preservadas.

 

2. quando a conjunção “e” assumir valores distintos que não retratarem sentido de adição (adversidade, consequência, por exemplo):

  • Você diz que é a favor das propostas, e (mas, porém, no entanto…) não nos explica por quê.
  • O cliente estava muito nervoso, e (por isso, portanto…) não conseguia prestar atenção aos questionamentos do atendente
  • Se você começa a atualizar as suas planilhas de controle financeiro, e (mas, porém, entretanto…) a tarefa consome mais de 60 minutos do seu dia, eis um forte indicativo de que a ferramenta que você está utilizando não é a ideal para a tarefa desempenhada.  (blog.contaazul.com)
  • A situação financeira do clube estava ruim, e (por isso, portanto…) muitos atletas foram dispensados.

 

3. quando a conjunção “e” vier repetida para dar ênfase (polissíndeto) ― uso mais comum no texto literário:

Falta-lhe o solo aos pés: recua e corre, vacila e grita,

luta e ensanguenta, e rola, e tomba, e se espedaça, e morre.” (Olavo Bilac)

 

E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios…

Eu tenho a minha Loucura !

Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,

E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios…  (José Régio)

 

 

É isso!

Professor Adílson Góis da Cruz

 

 



Deixe uma resposta