Plural dos substantivos simples – Parte 1

Em língua portuguesa, devemos observar a terminação dos substantivos simples para marcar o plural. Na maior parte das vezes, basta acrescentar um “s”. Vejamos.

Substantivos terminados em vogal ou em ditongo oral, acrescenta-se S:

mesa – mesas

livro – livros

saci – sacis

degrau – degraus

chapéu – chapéus

 

Substantivos terminados em -ão:

Fazem o plural em -ões, -ães ou -ãos. Alguns substantivos admitem mais de uma forma no plural.

Plural em -ões:

botão – botões

caminhão – caminhões

condução – conduções

leão – leões

limão – limões

mamão – mamões

 

Plural em -ães:

alemão – alemães

cão – cães

capitão – capitães

escrivão – escrivães

pão – pães

sacristão – sacristães

 

Plural em -ãos:

chão – chãos

cidadão – cidadãos

cristão – cristãos

desvão – desvãos

mão – mãos

pagão – pagãos

vão – vãos.

Todos os substantivos paroxítonos terminados em -ão:

acórdão – acórdãos

bênção – bênçãos

órfão – órfãos

órgão – órgãos

sótão – sótãos.

 

Admitem mais de uma forma no plural:

aldeão: aldeãos, aldeões, aldeães

ancião: anciãos, anciões, anciães

charlatão: charlatões, charlatães

corrimão: corrimãos, corrimões

cortesão: cortesãos, cortesões

ermitão: ermitãos, ermitões, ermitães

guardião: guardiões, guardiães

refrão: refrãos, refrões

sacristão: sacristãos, sacristães

verão: verões, verãos

vilão: vilãos, vilões, vilães

vulcão: vulcãos, vulcões

 

Substantivos terminados em -al, -el, -ol, -ul,  troca-se o l por is:

varal – varais

cafezal – cafezais

papel – papéis

anel – anéis

anzol – anzóis

farol – faróis

paul – pauis

azul – azuis

 

Importante: cônsul – cônsules, mal – males.

 

Substantivos terminados em -il:

Se oxítonos, troca-se o l por s:

barril – barris

canil – canis

funil – funis

fuzil – fuzis

 

Se paroxítonos, troca-se o l por eis:

fóssil – fósseis

projétil projéteis

réptil – répteis.

retrátil – retráteis

volátil – voláteis

 

Importante: podem ser oxítonas:

projetil – projetis

reptil – repitis.

 

 

 

Por ora é isso!

Professor Adílson Góis da Cruz

 



Deixe uma resposta