Concordância com o verbo SER

Em termos de concordância, o verbo SER integra um pequeno grupo de verbos que merecem um estudo particular. Na nossa língua, é o único que pode concordar ora com o sujeito, ora com o predicativo do sujeito (termo que qualifica, caracteriza o sujeito). A estrutura típica da oração com o verbo SER é a seguinte:

 

SUJEITO + SER + PREDICATIVO DO SUJEITO

 

Confira algumas regras que, de modo geral, expressam a concordância de opiniões entre os gramáticos:

 

1.    O verbo SER concordará com o sujeito representado por pessoa (substantivo) ou por pronome pessoal ou de tratamento:

 

  • Aquela criança era sonhos e esperança para a família.

  • Vocês foram a razão de tudo o que construímos.

  • Vossas Senhorias são uma vergonha.

  • Augusto foi só alegrias.

 

2.     O verbo SER concordará com o predicativo nos seguintes casos:

 

a)     quando o sujeito for representado pelos pronomes isto, isso, aquilo, tudo, o:

  • Tudo são lembranças boas.

  • Isto são decepções inevitáveis.

  • O que ele admirava em você eram os cabelos.

 

b)     quando o sujeito for o pronome interrogativo que (o que) ou quem:

  • Que seriam esses cálculos?

  • Que são juros de mora?

  • Quem são os candidatos?

  • Quem serão as representantes?

 

c)     quando o predicativo for constituído por nome de pessoa ou por pronome pessoal ou de tratamento:

  • Os representantes da marca somos nós.

  • As alegrias da família era o recém-nascido.

  • A razão de tudo eram eles.

  • A nossa esperança são Vossas Excelências.

 

d)     quando o sujeito for formado por expressões numéricas que indicam quantidade, medida, preço etc.:

  • Dois milhões é pouco para esta reforma.

  • Cinco meses será quase uma década neste caso.

  • Dez quilômetros é muito para caminharmos.

 

e)     quando indicar data, tempo, distância:

  • Era primeiro de julho.

  • É uma hora.

  • Ainda é meio-dia.

  • Ainda é meia-noite.

  • Eram quatro horas da manhã.

  • Quando acabarmos, já serão cinco horas da tarde.

  • São dez de maio.

  • É (dia) dez de maio. [O verbo concorda com o substantivo “dia”, subentendido.]

 

Importante!

Se o sujeito e o predicativo forem representados por substantivos de números diferentes, o verbo SER, preferencialmente, concordará com o termo que estiver no plural:

A vida são alegrias e tristezas.

É aceitável fazer a concordância com o sujeito (singular), quando se quer enfatizá-lo:

A vida é alegrias e tristezas. [concordância mais rara]

 

Resumo

Independentemente da função sintática dos constituintes da oração (sujeito ou predicativo), preferencialmente, a concordância com o verbo SER deve se acomodar aos seguintes princípios:

  • Sujeito pessoa e predicativo pessoa: preferência pelo plural;

  • Sujeito coisa e predicativo coisa: preferência pelo plural;

  • Sujeito pronome pessoal e predicativo pronome pessoal: preferência pelo pronome sujeito;

  • Oração formada por pessoa e coisa: preferência pela pessoa;

  • Oração formada por pessoa e pronome pessoal: preferência pelo pronome;

  • Oração formada por coisa e pronome pessoal: preferência pelo pronome.

 

 

Por ora é isso!

Professor Adílson Góis da Cruz

 

 

 



Deixe uma resposta