15 conselhos para falar corretamente!

Cuide de sua linguagem falada, pois ela é capaz de espelhar o melhor de você. Falar corretamente, sem sombra de dúvida, contribui para uma carreira de sucesso. Não se esqueça de que é por meio da língua falada, sobretudo, que construímos uma imagem de competência, de seriedade e de respeito pelo nosso idioma. Confira algumas dicas:

  1. Evite o estilo rebuscado, ao estabelecer um diálogo. Procure utilizar palavras e expressões conhecidas do leitor. Lembre-se de que falar corretamente não significa falar difícil.

  2. Suprima palavras desnecessárias. Substitua “devidas providências” por “providências”; “maiores esclarecimentos” por “esclarecimentos”; “novo lançamento” por “lançamento”; “elo de ligação” por “elo”; “encarar de frente” por “encarar” etc.

  3. Evite palavras estrangeiras. Prefira termos de origem portuguesa. Substitua “feedback” por “parecer” ou “devolutiva”; “case” por “caso”; “draft” por “rascunho”; “gap” por “defasagem”, “intervalo”, “divergência” etc. Não se esqueça de que os seus ouvintes podem desconhecer termos de outras línguas.

  4. Controle a repetição de palavras, a qual pode revelar pobreza vocabular.

  5. Elimine palavras e expressões em desacordo com a norma culta da língua.  Portanto, afaste do seu discurso a nível de, tipo assimface a etc.

  6. Nunca pronuncie “asterístico” (asterisco), “mortandela” (mortadela), “estrupo” (estupro);  “iorgute” (iogurte), mendingo” (mendigo), “beneficiente” (beneficente), “supérfulo” (supérfluo), “impecilho” (empecilho), “usufluir” (usufruir), “reinvindicar” (reivindicar).

  7. Jamais fale “de menor”  (menor), “de maior” (maior), “um clipes” (um clipe) etc.

  8. Combata o gerundismo. Evite “Vamos estar providenciando”, “Vou estar verificando”, “Vou estar cancelando”, “Estaremos recebendo”, entre outras. Prefira “Vamos providenciar” (Providenciaremos), “Vou verificar” (Verificarei), “Vou cancelar” (cancelarei), “Vamos receber” (Receberemos).

  9. Não fale “O gerente interviu”, “Se o gerente intervisse”, “Nós intervimos” etc. Empregue “O gerente interveio”, “Se o gerente interviesse”, “Nós interviemos”. Lembre-se de que “intervir” deve ser conjugado como “vir”.

  10. Jamais diga “Para mim fazer”, “Para mim corrigir”, “Para mim enviar”.  “Mim” não pode ser sujeito de uma oração. Portanto, prefira “Para eu fazer”, “Para eu corrigir”, “Para eu enviar”.

  11. Nunca empregue as formas “seje” e “esteje”. Diga “Seja rápido”, “Não seja maldoso”, “Esteja aqui às 7h”, “Esteja à vontade” etc.

  12. Não fale “menas”. O correto é “menos”. Trata-se de palavra invariável.

  13. Lembre-se de que “a princípio” significa “inicialmente, antes de mais nada”; e “em princípio”, “em tese, teoricamente”.

  14. Evite o emprego do verbo “ter” com valor de “haver”. Em lugar de “Tem muitas pessoas nesta sala”, prefira “Há muitas pessoas nesta sala”.

  15. Diga graTUIto e não gratuIto; reCORde e não REcorde; ruIM e não RUim; ruBRIca e não RUbrica.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diga gratúito e não gratuíto; recorde e não récorde; ruim e não ruim; rubrica e não rúbrica.

 

 

Adílson Góis da Cruz

Consultor em língua portuguesa



Deixe uma resposta